segunda-feira, 22 de fevereiro de 2010

Last Wall (2)


Quando acordei ainda estava completamente escuro . Não abri os olhos, mais sabia que estava deitada no colo do Matt- que era o seu novo apelido que eu inventei -, que eu estava com a sua blusa, e ele fazia carinho no meu rosto.
- Será que um dia será minha Tay ? Será que um dia terei a sorte de poder te dizer eu te amo de novo? - Tudo bem, eu fiz uma careta e estraguei tudo .
Ele percebeu que eu estava acordada . - TAYLOR ? - ele se assustou . - Você está acordada a quanto tempo ?
- A tempo suficiente . - eu disse me sentando. - É verdade Matt ? Você gosta mesmo de mim ? E o que quer dizer com de novo ? Eu acabei de te conheçer ! - eu assustei o cara, mais ninguem aqui estava mais assustada quanto eu .
- Bom... - disse ele passando a mão pelos cabelos loiros . - É sim. - ele olhou para o chão, depois disso pegou minha mão. O vento veio
e uma mecha do meu cabelo caiu sobre meu rosto. Antes que eu pudesse ter a idéia de tira-la de lá, Matt fez isso por mim . - Eu te amo Taylor . - Ele disse, e eu sinti que já tinha ouvido isso antes, o jeito que ele falou, tudo tudo me lembrava Drake . E eu nunca tive tanta certeza na minha vida que ele era o Drake . Começei a me afastar de vagar, meus olhos presos no nada repetindo Drake, Drake, Drake .
- Você ... Você é o Drake . - eu levei a mão na boca, isso era impossivel.
- O que ? - ele perguntou - Ah, isso . - e passou a mão pelos cabelos - pensei que você não ia perceber tão cedo.
- Como assim isso ? - eu gritei - você é o meu namorado morto que voltou a viver ? Isso não é nenhuma piadinha é ? - eu estava de pé e gritando para o Matt. Drake. Tanto faz, você entendeu .
- Não, não é piadinha, e sim, eu sou o seu namorado morto que voltou, eu sei que você tem uma pantufa de coelhinho, sei que você não gostava de mim antes da gente começar a namorar, e sei que você daria quase tudo para ter ido no meu lugar. - Ele ainda não saba do meu maior segredo, o que eu só tinha contado para o Drake, - e, você odeia mais que tudo nesse mundo o filme sonhando no gelo, seilá, não lembro o nome disso - ele sabia, ele sabia, ele sabia, e o Drake sempre errava o nome desse filme. - Acredite no que você quizer, se eu não fosse o Drake, eu não ia saber que sou alergico a nozes, que tinha um poster da demi lovato no meu quarto, e que você me mandou tirar, ao que eu obedeci, mais ainda está lá embaixo da minha cama, pode ir lá ver se quizer. - ele parecia bravo por eu não acreditar.
- Drake... ? - eu perguntei cautelosamente .
- O que é ? - ele gritou .
- Você deveria estar morto certo? O que ainda faz aqui ? Quer dizer, como você pode estar no corpo de outra pessoa ? - eu encostei a mão no seu ombro tentando reconforta-lo de sua crise estéria a minutos atraz .
- Qualquer um que ler livros de mediação sabem disso, passei muito tempo na biblioteca estudando sobre isso, até que achei algo sobre
transferencia de corpo . É quando você troca de espirito com outra pessoa e ocupa o seu corpo . - tentei não pareçe chocada. Mas acho que não funcionou.
- E aonde está a alma desse cara agora ? - eu juro que tentei não gritar .
- Sei lá, vagando por ai eu acho. - ele deu de ombros como se fosse uma coisa normal de se fazer.
- Drake Connor o que você vai fazer agora hein ? Você não pode viver ai para sempre. Precisamos achar o espirito desse cara! - eu apontava o indicador na sua cara, e estava realmente furiosa, Drake pode ter voltado dos mortos para me ver, - uma coisa fofa eu acho - mas roubar o corpo de outra pessoa é quase imperdoavel.- Eu sei, eu tava sentindo sua falta, eu estava choando muito, mas você não pode fazer isso. - isso caiu como um baque em cima dele, se contentou porque eu disse que estava sentindo sua falta, mas odiou ser julgado. Esse era um dos problemas dele, ele odiava ser julgado, odiava quando fazia uma coisa e era reprovado.
- Está dizendo que não está feliz pelo que eu fiz ? Eu passei três dias na biblioteca tentando achar um jeito de falar com você de novo, e agora que eu consigo você tá pensando na alma do cara ? Fala sério Jessie Taylor, é uma das coisas que eu mais odeio que você faz, você sabe disso. E além do mais, eu te amo, e vou ficar com você pelo menos essa noite, e você até pode não querer, mas eu vou te seguir tá bem? - agora ele apontava seu dedo para mim. Me acusando de não gostar dele e sim do cara que ele tomou o corpo.
- Olha só Drake Connor, desta vez... só dessa vez você tem razão. - olhando para o nada disse. - Não se acostume com isso.
- Gosto disso, você fingi que a gente vai ficar juntos para sempre e sempre . - ele sorria. - Gosto disso. - repetiu.
Ficamos lá, sentados um longe do outro. Ele pensando em alguma coisa, e eu pensando em como recuperar a alma do cara.
- Me desculpe Jess - esse era o jeito que ele me chamava quando eu estava chatiada com alguma coisa, e o jeito que ele pronunciava era único, nunca ninguem conseguia falar Jess igual o Jess do Drake, ninguém. - Eu sei que não devia ter deixado a alma dele por ai, mais eu precisava muito te ver, falar com você. Você é a única coisa que me deixava vivo, e a única coisa que me deixa mais proximo do vivo agora. - ele se sentou perto de mim. - me perdoa Jess ? Por favor. - e com aquela voz, e me lembrando dele... bem... eu tive que perdoar. Ele era muito fofo para see jogado fora.
- Claro que eu te perdoo Connor - eu esperava que Connor soasse para ele como o Jess soa para mim. Ele riu.
- Obrigada Jess. - dizia enquanto passava a costas de sua mão o meu rosto, eu fechei os olhos para poder visualiza-lo melhor, o Drake não o Matt. Abri os olhos. Drake estava a centimetros de mim e estava prestes a me beijar, bom, eu não iria recusar.
Mas o espirito a alguns metros de mim me fez parar para encara-lo. Olhei atentamente para Matt e depois para o espirito, eram completamente identicos.
- Achei você. - joguei o corpo do tal de Matt, e o espirito do meu quase namorado para longe e fui correndo para o espirito, ouvi um "ei" do Drake, mais eu não podia deicha-lo por ia. Sua expressão - a do espirito - não estava boa, estava realmente furioso. Senti um arrepio por meu corpo mais continuei em sua direção. Mal cheguei perto dele ele começou a falar.
- Olha aqui sua bruxa, se o seu namorado morreu e quer te ver que ele te mate também, não precisava usar vudu e me substituir beleza? Eu sou a favor do amor depois da morte, mais não aqui, não comigo, e não usando o meu corpo. - ele devia se referir ou 'quase beijo' entre mim e Drake, já que estava apontando para o corpo dele, que agora estava caido sobre o chão. Eu não endendi por um minuto, até que vi o Drake do meu lado - quero dizer seu espirito. - olhei fixamente para ele por um tempo. Estava ótimo, - brilhando um pouco - mais ótimo.
- Drake... - as lagrimas instantaniamente voltaram para os meus olhos. Eu segurei a sua mão e ele se virou para mim.
- Jess? - ele parecia confuso - você pode me ver ?
- Posso Drake, posso sim. - Tudo bem, eu era mediadora e nunca contei para ele, nunca achei motivo, e achei melhor manter isso só para mim.
- Nossa, isso é ótimo ! - e virando-se para o Matt disse - Sinto muito por ter roubado seu corpo, mais eu não preciso mais dele, pode pegar. - Matt o encarou com os punhos fechados.
- Só tem um pequeno problema cabeça-de-abóbora. Eu não sei voltar lá. - Por isso eu não esperava. - Não sei como fazer para entrar lá de novo, não sei nem como eu sai, e não vou deixar vocêis em paz até eu voltar para o meu corpo.- eu olhei para Drake louca da vida.

2 comentários:

disse...

Olá, estou te seguindo *_*

-

Beeijos!

Giih disse...

A Anna eu qero mais e mais eu viciei, simplesmente viciei nessa hitória *-*
Te amo Ann (: