sexta-feira, 26 de março de 2010

Eu conheço Hédio.


(Continuação de Where are you now?)

Não estava nem na metade do caminho, mas mesmo assim estava completamente encharcada por causa da chuva que caia. Ela havia piorado conforme eu me aproximava. Eu não podia correr, porque se eu corresse eu ia cair e isso ia demorar ainda mais. Tentava planejar o que ia fazer quando chegasse lá. Não tinha um plano. Não tinha uma arma. Sequer tinha qualquer coisa para jogar em cima dele ou de seus inúmeros servos. Não que eu já tenha estado lá, porque não estive. Eu nem acreditava que isso realmente existia. Mas, é isso que loucas fazem quando querem procurar o seu namorado mais não tem motivo. Inventam um. E saem por ai para procurar.
Elas geralmente não voltam. Eu hesitei, mas foi só por um momento. E se eu não estivesse louca ? E se o Bryan estivesse mesmo na casa que diziam ser de Hédio ? Tudo é possivel não é ? Sim, conclui e começei a correr, pois sabia que meu tempo estava acabando.


Cheguei a uma clareira perto de uma casa abandonada, podia ouvir a fogueira queimando, e os gritos abafados de Bryan, cheguei mais perto, ainda com cuidado, e olhei pela janela.
- Ah Bryan, não se preocupe com ela, está tudo bem, não vai ter perigo nenhum... Ah, claro, você vai ser morto, mas você não exigiu nada assim no nosso acordo não é? Eu não toco um dedo nela, mas você não disse nada sobre não tocar no seu. - Eu só olhava fixo para Bryan enquando essas palavras eram ditas, ele estava de joelhos com as mãos amarradas perto do fogo, e quando ele levantou os olhos e me viu, apenas arqueou as sombrancelhas me mandando ir embora.
- Perfeito, nossa convidada de honra chegou. - E então pela primeira vez levantei os olhos para ver os azuis intensos de Hédio.
O.k., Hédio não era o que eu imaginava que seria. Eu imaginei um cara velho, usando aqueles vestidos que usavam na Grécia, com olhos vermelhos e a boca quase se espumando de raiva por algum motivo. O que eu vi foi um cara da minha idade, usando jeans e uma blusa da Abercrombie&Fitch, olhos perfeitamente azuis - ora verdes conforme a luz -, e, ah, tenho que admitir, a boca mais bonita do mundo. O cara em si era perfeito, de modo que eu apenas fiquei lá parada, olhando para ele, ao invez de sair correndo, como eu bem deveria ter feito. Antes que eu pudesse raciocinar que ele queria matar o meu namorado - aquele cuja estava preso do seu lado - ou raciocinar qualquer outra coisa a não ser o quanto Hédio era bonito, fui cercada por humanos - sim, eu sou humana, mas digo, ahn, em relação a Hédio - que me amarraram e começaram a me arrastar para lá dentro, onde fiquei de modo mais confortável, talvez pelo fogo, talvez pela beleza do olhar de Hédio.
- Finalmente você chegou Carrie, sabia que é falta de educação deixar os outros esperando? - Os humanos me jogaram no chão, onde cai e provavelmente cortei a testa, por não ter aonde me apoiar.
- E eu pensei que você fosse mais velho e... ahn... mais feio. - Eles soltaram Bryan e ele veio me ajudar a levantar.
- Agradeço o elogio, você também não é nada mal, é uma pena termos feito isso.
- Quer dizer que vai me soltar? - ele soltou uma risada que gelou meus ossos.
- Não, ainda não. - Ele parou para pensar e depois continuou - Vamos fazer um acordo, se você sair viva e sair viva, pode ir embora, caso contrário, sua alma trabalha para mim para sempre, não é ótimo?
- Geralmente em um acordo os dois lados saem ganhando não é? O que eu ganho com isso exatamente?
- Carrie, não faz acordo nenhum com ele, ele é um trapaceiro, me fez pensar que não ia te machucar, me desculpa Carrie, me desculpa, eles fizeram aquela voz entrar na sua cabeça, eles me usaram, e... ela, ela me...
- Calem a boca dele. - Hédio interrompeu o discurso do Bryan que faria até o segurança do meu pai parecer um menininho indefeso.
- Quem é ela exatamente? - ele pareceu estremecer ao dizer :
- É a dona de todas as almas desse mundo, Desdêmona, rainha do mundo inferior. - mas recuperou seu olhar malvado rapidamente. - vocês humanos são tão tolos.
- Senhor, sabe que, tecnicamente, ela não é humana. - um dos guardas que tinha me amarrado deu um passo a frente, como se fosse valente dizer alguma coisa para Hédio. Olhei para ele, parecia com raiva de terem o interrompido, e ainda mais pelo que ele tinha dito.
- Como assim, não humana? - Já que eu não era humana ( ah, que ótimo.), não devia ter medo de Hédio.
- Matem-o . - E com uma simples ordem um dos humanos pegou sua espada na bainha da calça, e com um único golpe decapitou o guarda que havia falado.
- Eu não queria te explicar isso, mas já que você vai morrer mesmo... - ele olhou para a porta, como se esperasse que alguém entrasse lá e o tirasse de me explicar porque, em terra eu não era humana. Como não veio ninguém, ele prosseguiu - Você é filha de Otello e Afrodite. - Eu arqueei as sombrancelhas, mesmo? Eu? Filha da deusa do amor e da belesa e do deus da sabedoria? Tem certeza?
- O.k., eu? Mesmo? Você não me confundiu com a Taylor Swift ou alguem do tipo? Porque, eu tirei 4 em matemática. Como eu poço ser a filha do deus da sabedoria? Sério, você tá me confundindo com alguém.
- Não não estou. - ele revirou os olhos como se estivesse entediado do meu blábláblá adolescente.

5 comentários:

FanFics disse...

OMG Ann, continua *--*
Amo histórias assim hoho.

Anônimo disse...

AMEI *-* Por algum acaso é uma fic tipo ladrão de raios?
beijos flor :*

deh; ) disse...

muito legal!vc sabe encaixar as historias a medida que elas vao seguindo,a proposito,é q eu nao tinha postado por alguns problemas,mas agora ta tudo certo,ok?!

Vicky D. disse...

ADOREI!! Ficou mt incrivel

Uhn, é uma fic tipo Percy J?

bjão =^.^=

Carolzinha_Hermanas. disse...

AAAAAMEI :D
AHUAHAUAHAUA,eu ri no finalzinho quando fala que tirou 4 em matemática,porque sabe, me identifiquei bastante.AHAHHAHA.

é sério,continue logo com sua história *_*


beeeijo,amiga <3