terça-feira, 31 de agosto de 2010

Haunted;


Eu tinha de ser rápida. Mais rápida do que jamais fui. Eu sorri. Já tinha corrido tanto por toda a minha vida, que não devia ficar tão preocupada com isso. Mas eles me davam medo. Mais do que qualquer outra criatura que eu já havia encontrado – o que, se for ver, eram muitas.
Apertei o arco de madeira contra mim, me lembrando do quanto eu o achara pesado a primeira vez que Bryan me dera. Agora parecia haver apenas uma pena longa e fosca em minhas mãos – eles não gostam de brilho e, mesmo se gostassem, um arco brilhando a noite chamaria muita atenção.
Peguei uma flecha com a ponta em forma de estrela, e a posicionei no arco. Era agora ou nunca. Meu coração estava acelerado e as minhas mãos tremiam, sabia que seria difícil acertar o alvo de primeira. A escuridão não ajudava, mas meus olhos se acostumam fácil a ela, me permitindo ver pelo menos uns trinta metros a minha frente. Mas eles eram rápidos. Muito rápidos. E a julgar pelo horário, estavam com pressa.
Não que seres como ele tivessem horário, porque não tem. Mas pelo que eu escutei da conversa entre Dean e Bryan eles tinham até as 7 da manhã para leva-la até a mata e darem um jeito nela. E quando digo dar um jeito quero dizer que vão mata-la. Nem era da minha conta na verdade, mas eu sempre fui assim. Não é agora que vou mudar.



Prólogo.

4 comentários:

Victoria*-* disse...

fiquei apaixonada,,,continua please!!!!beijoos amiga!!!!

... da Canastrinha disse...

Muito bom.
Adorei as postagens, adorei o blog. TUDO!
Olha, tem um selinho pra você no meu blog! (:

Vicky Doretto disse...

Adorei! *-*
tem continuação???

bjão

Carolina Hermanas disse...

Quero continuação,Anna *_____*